Advogada de Roraima é a única mulher que participa do STJD do Golfe

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Golfe passou este ano a ter, pela primeira vez, em sua composição de auditores uma mulher. E essa mulher é uma advogada de Roraima, Karen Castro, representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na instância máxima da Justiça Desportiva do Golfe.

Para o presidente da OAB, Rodolpho Morais, é um orgulho para a Seccional Roraima ter uma de suas integrantes participando do STJD. “Confiamos plenamente no trabalho da dra Karen nessa nova função, nesse novo desafio, e que ela represente muito bem o nosso estado, torcendo para que a gestão dela seja profícua e, tenho certeza, que representará a advocacia roraimense de forma esplendorosa e dando o destaque nosso estado merece”, destacou.

Para a advogada, a participação dela no STJD representa conquistas para Roraima, para as mulheres e para as advogadas que atuam na política de Ordem. Ela destaca ainda o fato de ser membro da Justiça Desportiva de uma modalidade como o golfe que há cerca de 10 anos foi que passou a receber mulheres nesse esporte.

“Eu entendo que a minha nomeação, como mulher, para a auditoria de um esporte que é predominantemente formado com 90% de homens já demonstra que a gente está conseguindo realmente quebrar barreiras e fincar as estacas onde realmente é de merecimento nosso estarmos, pela competência técnica, pelo trabalho que a gente vem executando”, avaliou Karen.

Ainda refletindo sobre a ascensão das mulheres nos últimos anos, ela afirma que mesmo com todas as conquistas continua sendo desafiadora e persistente a luta pela igualdade. “Eu acho que a advogada em si, para a política de ordem, por exemplo, ela tem que ser atuante e, principalmente e infelizmente, nós como mulheres ainda temos uma certa dificuldade. E se a gente não batalhar com um pouco mais de afinco que o próprio homem, a gente nunca vai conseguir realmente efetivar a igualdade de gêneros”, afirma.

Por fim, a advogada afirma que ainda existem muitos espaços a serem conquistados e acredita que atualmente existe uma abertura cada vez maior dentro do Conselho Federal da OAB para colocar a mulher em nível de igualdade com os homens.

“De fato a OAB está possibilitando e abrindo os caminhos para que as advogadas realmente consigam se inserir na política de Ordem. Essa [nomeação] foi uma demonstração clara de que hoje o Conselho Federal vem realmente buscando efetivar e auxiliar a mulher advogada a galgar esses espaços que é uma coisa que tem merecimento há anos, mas só agora estamos conquistando”, analisa.

Ao falar sobre o trabalho que vai desenvolver como membro do STJD, comemora outra abertura, pois a advogada foi nomeada para ser a relatora do Regimento Interno do órgão, que é formado por 9 pessoas, sendo a maioria representantes de entidades do golfe, mais dois representantes da OAB.